#33 Qohelet, o pregador desalinhhado




2 comentários:

Tiago Casaleiro disse...

Obrigado por mais uma partilha, por mais um abrir das escrituras.
O livro de Qohélet é dos que mais me faz reflectir sobre a vida. No tal tom irónico e humorístico abre-me os olhos!

Obrigado pelas pistas de reflexão.

Abraço,

Tiago

marco disse...

Também reflecte sobre o sentido da vida, embora essa reflexão tenha de ser cuidadosa para que não se caia no relativismo fácil ou num niilismo.
Além de irónico, é paradoxal, tornando-se desconcertante, como por exemplo:
-(...) Decidi então conhecer a sabedoria e a ciência, assim como a tolice e a loucura. E compreendi que (...) onde há muita sabedoria há também muita tristeza, e onde há mais conhecimento, há também mais sofrimento. Ecclesiastes 1, 17-18

e logo a seguir

-A sabedoria dos homens alegra-lhe o rosto e abranda-lhe a dureza da face. Ecclesiastes 8, 1

E já agora um paralelismo ecuménico: "nem muito justo nem muito injusto", "nem muito sábio nem muito tolo" o que no budismo se chama o 'caminho do meio'...